Quais são os sintomas da Gonorreia?

14/10/2023

Quais são os sintomas da Gonorreia?

Descubra: O que realmente é a Gonorreia?

A gonorreia é uma infecção bacteriana transmitida quase que exclusivamente através de contato sexual ou perinatal. Após o contato sexual sem preservativo, tanto os homens quanto as mulheres ficam expostos a essa infecção que pode se generalizar nas genitais, ânus, garganta e em bebês, caso seja transmitido durante um período de gestação.

 

As 8 IST's Mais Comuns: Você Está Informado?

A gonorreia não é a única IST que mais afeta a vida daqueles que fazem relações sexuais sem preservativo. Segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a cada dia, são registrados mais de 1 milhão de casos dessas doenças mundo afora. Existem mais de 30 tipos de Infecções Sexualmente Transmissíveis mas separamos as mais comuns para te deixar informado. Lembre-se, sempre use preservativo durante as relações sexuais. Confira!

Clamídia - Comum entre homens e mulheres com a vida sexual ativa, independente da idade, a Clamídia é uma infecção bacteriana que afeta a vagina e o pênis. Nem sempre apresenta sintomas, o que acaba dificultando o diagnóstico e, consequentemente, o tratamento. Os principais indícios são dor ao urinar e corrimento semelhante ao aspecto da clara de ovo nos órgãos genitais. A Clamídia pode acabar comprometendo a fertilidade, além de causar dores durante as relações e aumentar os riscos de gravidez nas trompas ou de parto prematuro, devido a sua progressão alta de infecção.

Gonorreia - A gonorreia é uma infecção bacteriana transmitida quase que exclusivamente através de contato sexual. Após o contato sexual sem preservativo, tanto os homens quanto as mulheres ficam expostos a essa infecção que pode se generalizar nas genitais, ânus, garganta e em bebês, caso seja transmitido durante um período de gestação.

HPV - Verrugas genitais - A sigla HPV é utilizada para definir vírus relacionados à infecção. Em alguns casos, as variedades causam manifestações semelhantes a verrugas, em número e tamanhos diversos. O HPV está ligado diretamente com o câncer de pênis e o câncer de colo do útero. E devido a sua manifestação silenciosa, é sempre recomendado exames preventivos para que, caso seja diagnosticado, o tratamento seja rápido e eficiente.

Herpes genital - O Herpes genital é causado pelo vírus do herpes simples (HSV), que provoca lesões na pele e nas mucosas dos órgãos genitais masculinos e femininos. Dificilmente esse vírus é eliminado quando entra em contato com o organismo, passando por períodos de “descanso” e “ativação”. Devido a sua manifestação dentro do sistema nervoso, o sistema imunológico não tem acesso ao vírus, o que acaba fazendo que este seja somente tratado e não combatido 100%.

Tricomoníase - É uma infecção genital e sua transmissão ocorre por meio das relações sexuais ou contato íntimo com secreções de uma pessoa contaminada. Pode ser transmitida por homens e mulheres, porém afeta mais diretamente as mulheres. Essa IST é considerada como um parasita, e costuma viver na vagina ou na uretra. Ele acaba causando micro lesões na parte interna da vagina e pode levar ao desenvolvimento de outras ISTs.

Sífilis - Uma das mais conhecidas entre as ISTs, a Sífilis começa com uma ferida indolor na região genital, no ânus ou na boca, com início entre 20 e 30 dias após a relação sexual. A lesão pode se curar sozinha em cerca de um mês, dando a impressão de que o problema foi resolvido. Porém, há uma segunda fase da infecção, que causa irritações ou manchas em diversas partes do corpo, podendo progredir até atingir o sistema nervoso, os olhos ou o coração. Em casos de gestação, essa IST traz consequências graves, como aborto, parto de natimorto ou má-formação fetal.

Ureaplasma - O ureaplasma é uma bactéria que pode causar corrimento vaginal, dor ou ardência na uretra, vontade de urinar toda hora, e dor na hora da relação sexual.

AIDS - A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, conhecida como Aids, é causada pelo vírus HIV e compromete o funcionamento do sistema imunológico. Sua transmissão acontece por meio de relações sexuais desprotegidas, por meio do sangue ou pelo leite materno. Muitas vezes, a AIDS não manifesta sintomas e quando surgem, costumam ser semelhantes aos da gripe, como febre e dor de garganta. Porém, quando evolui, o paciente pode ter perda de peso, suor em excesso na parte da noite e infecções recorrentes, devido à baixa imunidade. Infelizmente, a AIDS ainda não tem cura, porém, existem tratamentos capazes de retardar o progresso da infecção e garantir mais qualidade de vida aos pacientes. 

 

Alerta! Sinais e Sintomas da Gonorreia

Os sintomas variam de sexo para sexo. As mulheres costumam não apresentar sintomas da gonorreia em alguns casos. Porém, podem apresentar sintomas como corrimento amarelado fora do período menstrual, dor e ardência ao urinar, dor na região inferior do abdômen e também dor e sangramento durante a relação sexual. Já em homens, os sintomas aparecem com mais facilidade e eles costumam apresentar dores ao urinar, com eliminação de pus e corrimento saindo do pênis, inflamação na ponta do pênis e também dor ou inchaço nos testículos. Em outros casos como da gonorreia na boca e da gonorreia na garganta, os sintomas incluem sensação de queimação, dor na boca e na garganta, além de glândulas inchadas, manchas brancas e alterações na fala. Outra situação que pode acontecer é a gonorreia anal, que vai apresentar sintomas como coceira, secreção purulenta, dor ao evacuar e sangramento via retal. Caso sinta estes sintomas, aconselhamos a buscar ajuda médica o mais rápido possível para que seja feito exames e seja tratado o mais rápido possível.

 

Gonorreia em Bebês: O Risco dos Recém-Nascidos

Em alguns casos, a gonorreia não para somente nos adultos e acaba sendo transmitida na gravidez, o que é perigoso para o bebê. Durante o nascimento (caso mais comum), a criança pode ser contaminada pela bactéria presente na região genital da mãe infectada, o que pode levar a uma conjuntivite neonatal que infelizmente pode virar uma cegueira. Durante o processo de gestação, a probabilidade do bebê ser infectado é menor, porém, em alguns casos de infecção, o feto corre o risco de sofrer um aborto espontaneo, por meio do rompimento prematuro das membranas que pode até mesmo levar a morte do feto, caso a mãe esteja infectada. Por isso, é importante que mulheres grávidas com a vida sexual ativa, fiquem atentas aos sintomas da gonorreia para que o tratamento possa ser iniciado rapidamente e o risco de transmitir para o bebê diminua.

 

Como acontece a transmissão

A bactéria causadora da gonorreia só pode ser transmitida de um indivíduo para outro durante a relação sexual, seja essa relação oral, vaginal ou anal, sem o uso de preservativos. O risco de transmissão de um parceiro infectado a outro é de 50% por ato. Em casos de gravidez, a transmissão pode acontecer durante o parto ou período de gestação, caso a mãe se relacione com alguém que está infectado.

 

Gonorreia: Como Se Proteger e Evitar a Transmissão

A principal recomendação para que haja a prevenção é o uso de preservativos que tragam segurança no momento das relações sexuais e orais. O uso de lubrificantes à base de água é recomendado para as relações anais. Sempre que possível, realize um auto exame, observando os próprios órgãos. Além disso, qualquer tipo de mudança, seja na aparência ou cheiro, procure o mais rápido possível um médico para que haja um diagnóstico da situação. Para as gestantes, é importante que façam um acompanhamento pré-natal adequado. 

 

Combate à Gonorreia: Tratamentos Convencionais e Alternativos

O tratamento é recomendado a ser feito pelo casal e não somente por aquele que estava infectado, já que possivelmente, o outro pode estar também. Todo o processo é feito à base de antibióticos que agem de maneira eficaz e em dose única via injeção. É de extrema importância que durante o período de tratamento, o casal mantenha uma abstinência sexual, seja ela com ou sem preservativo, para evitar uma generalização da infecção. Em casos de gravidez, a mulher deve se submeter o quanto antes ao tratamento e procurar ajuda médica. Também existe uma alternativa caseira, que deve apenas complementar o tratamento indicado pelo médico. A opção caseira é o chá de Equinácea, que é uma planta medicinal que tem propriedades que ajudam a eliminar a bactéria e a fortalecer o sistema imunológico. Caso siga com esse método, basta ferver duas colheres de chá das folhas da equinácea em 500 ml de água fervente. Após aguardar esfriar, coar e beber o chá duas vezes por dia.

 

Como tratar a gonorreia resistente aos antibióticos

A única forma conhecida atualmente para tratar a “supergonorreia”, é através de terapia antimicrobiana, que vai inibir a manifestação da bactéria e ajuda no processo de tratamento. Essa terapia é feita com a combinação de remédios em dose única. Devido a essa resistência, o tratamento é mais longo e é necessário que a pessoa infectada realize exames periodicamente para verificar se o tratamento está sendo eficaz ou se a bactéria proliferou. É de extrema importância monitorar toda essa situação com um médico especialista.

 

Respostas da Gonorreia ao Tratamento: Melhora ou Piora?

O tratamento da gonorreia vai variar caso seja diagnosticada e tratada de forma precoce, onde após iniciar todo o processo, ela é curada. Agora, caso contrário, pode desencadear uma série de complicações. O tratamento com antibióticos e a prevenção durante o período, vão ajudar a combater essa infecção da melhor forma possível. É recomendado que após o diagnostico e mesmo depois da cura, evitar o sexo sem camisinha. Os sinais de melhora da infecção são quando há uma diminuição da dor ou ardor ao urinar, o desaparecimento do corrimento branco-amarelado e redução da dor de garganta, em caso de relação oral. Os sinais de piora surgem quando o tratamento não é iniciado logo após o aparecimento dos sintomas ou quando o tratamento não é feito conforme a orientação do médico. Isso inclui o aumento da dor ou ardor ao urinar, assim como aumento do corrimento, sangramento vaginal no caso das mulheres, aparecimento de febre, dor e inchaço dos testículos nos casos dos homens e dor nas articulações.

 

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico acontece a partir da secreção colhida do pênis, da vagina ou do colo do útero. Com essa amostra em mãos, é feito um exame para identificar qual é o tipo de infecção. Além disso, vale lembrar aqui da importância de estar atento a sinais no corpo, e buscar ajuda médica imediatamente em caso de alterações.

 

Suspeita de IST? O que Você Precisa Fazer Agora

Caso haja uma suspeita de IST, procure o mais rápido possível ajuda médica. É muito importante que o diagnóstico seja feito o quanto antes para que se inicie o tratamento adequado, de acordo com a infecção detectada. Em caso de gestante, devido ao risco de transmissão ao feto, o tratamento deve ser iniciado com apenas um teste positivo (reagente), sem precisar aguardar o resultado do segundo teste. Para ter o tratamento adequado, busque pelos planos Hapvida NotreDame Intermédica aqui e tenha acesso a inovação, acolhimento e dedicação na forma como cuidamos da sua saúde.

Ainda não tem plano?

Venha para o Hapvida e conte com os cuidados exclusivos do Sistema de Saúde que mais cresce no Brasil.